Ministro Dias Toffoli mandou ofício para que ministros reforcem segurança pessoal após PF interceptar conversas de terroristas na deep web 

Após a polícia federal ter identificado na “deep web” conversas de supostos terroristas dizendo como era fácil atacar um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), a Suprema Corte tem adotado medidas para aumentar a segurança dos ministros. Está em andamento, por exemplo, uma reforma no subsolo que vai permitir que eles cheguem para as sessões do plenário sem ter que andar na rua dos fundos do prédio, como fazem hoje. Um elevador os levará direto da garagem privativa ao plenário. 

 As informações da PF sobre as conversas da deep web foram repassadas ao ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito que investiga ataques virtuais ao Supremo desde o ano passado. E na semana passada, o presidente do tribunal, ministro Dias Toffoli, enviou um ofício sigiloso aos ministros com orientações para que eles reforcem a segurança pessoal. A informação foi confirmada por ministros. Eles também confirmaram que farão mudanças na rotina pessoal, atendendo ao pedido da Presidência. 

No ano passado, quando o inquérito que investiga as ameaças foi aberto, os carros oficiais foram trocados por veículos blindados, e alguns ministros optaram por escolta.

Além da reforma da garagem, as equipes de segurança do Supremo reforçadas e, em breve até autoridades passarão por detectores de metal para entrar no prédio do STF. 

R7

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.