Fui convidada para participar de perto dos Jogos de Aventura e Natureza que estão acontecendo no Paraná. Os Jogos têm a finalidade de promover a prática de diversas modalidades esportivas, como também o turismo no Estado, que tem muitos atrativos interessantes.

Achei a ideia do projeto excelente e gostei muito de ter participado um pouco de sua primeira etapa, que está acontecendo no litoral paranaense. Ainda, outras duas regiões do Paraná sediarão os jogos até o final do ano, e eu estarei acompanhando também. No total, 26 cidades receberão os participantes em 29 modalidades esportivas.

A organização do evento de abertura dos jogos, se preocupou em selecionar e proporcionar experiências únicas à comunidade unindo o esporte, a natureza e a cultura. Fiquei surpresa com a programação especial, que combinou com a temática dos jogos.

Para a abertura, que foi na cidade de Matinhos, no dia 10 de agosto, encontrei uma estrutura capaz de receber a comunidade, que pôde experimentar pelo menos quatro atividades radicais: Balonismo, Escalada e Tirolesa, Clínica de Slackline e Simulador de Parapente.

Algumas atividades ficaram à disposição do público o dia todo. Tanto é que logo de manhã, meu filho participou, aprendeu e se divertiu na clínica de Slackine. O Staff estava preparado para ensinar aqueles que se lançavam ao desafio.

Após o almoço, o movimento no local da abertura foi aumentando e consegui sentir a animação de quem estava presente no evento por poder experimentar as atividades oferecidas.

A fila para encarar a aventura no paredão de escalada e tirolesa. — Foto: Marcio Kubo

A fila para encarar a aventura no paredão de escalada e tirolesa. — Foto: Marcio Kubo

Eu e meu filho encaramos a fila para a escalada e tirolesa. Esta seria a segunda tirolesa da vida dele. Mas, muitas crianças da fila estavam conhecendo a sensação de descer em uma, pela primeira vez. A alegria delas foi contagiante.

Alegria ao chegar no topo do paredão de escalada. — Foto: Marcio Kubo

Alegria ao chegar no topo do paredão de escalada. — Foto: Marcio Kubo

Tanto é, que também quis participar da atividade, mas estava preocupada, se teria força suficiente para escalar a parede de pedras artificiais. O Staff me orientou e me deixou mais relaxada. No fim, a escala foi fácil, sem grandes esforços. O que eu não esperava é, que sentiria medo ao chegar no topo, já que ao olhar lá de baixo, não parecia ser tão alto (o paredão tinha em torno de 6 metros de altura). Com medo e tudo, me lancei na tirolesa e logo me rendi a alegria.

Visão privilegiada que tivemos ao fazer o vôo cativo no balão. — Foto: Marcio Kubo

Visão privilegiada que tivemos ao fazer o vôo cativo no balão. — Foto: Marcio Kubo

O momento mais aguardado por mim e por minha família foi o vôo cativo no balão. Sempre quis subir em um balão e não poderia perder a chance. A fila estava grande, esperamos em torno de uma hora, mas, valeu a pena! A paisagem que contemplamos lá de cima era sensacional: de um lado, as serras; do outro, o mar.

A festa da abertura durou até de noite. — Foto: Denis Ferreira Netto

A festa da abertura durou até de noite. — Foto: Denis Ferreira Netto

Além das atividades, também nos divertimos com a presença das bandas que se apresentaram durante o evento. A Banda Que Voa me chamou a atenção ao se apresentar em um palco suspenso por um guindaste. Foi uma surpresa sensacional. Fiquei completamente empolgada durante o show. Aliás, todos estavam empolgados, inclusive o vocalista da banda, Sandami, que enalteceu a paisagem que contemplou enquanto se apresentava.

A apresentação da A Banda Que Voa empolgou a todos. — Foto: Marcio Kubo

A apresentação da A Banda Que Voa empolgou a todos. — Foto: Marcio Kubo

Durante a abertura, aproveitei para comprar algumas delícias na feirinha dos produtores regionais. Haviam doces, geleias, tortas, queijos, palmito, chips de banana, entre outros produtos artesanais. A vontade era de trazer um pouquinho de cada item para casa.

Feirinha do Produtor Regional. — Foto: Marcio Kubo

Feirinha do Produtor Regional. — Foto: Marcio Kubo

Além das atividades abertas ao público, no sábado e domingo, também aconteceram as primeiras competições dos jogos. Em Matinhos, acompanhei a emoção das jogadoras de Beach Soccer que participaram das finais.

Os dois times finalistas eram do mesmo clube e vieram da cidade de Pinhais para competir. Mencionaram que estavam muito satisfeitas em participar dos jogos e que puderam aproveitar para ter um momento de lazer, também no litoral.

As finalistas do Beach Soccer feminino antes de iniciar a partida. — Foto: Divulgação

As finalistas do Beach Soccer feminino antes de iniciar a partida. — Foto: Divulgação

AEN

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.