Crianças estupradas por grupo de pedófilos eram levadas vendadas para locais dos abusos

272

A duas crianças estupradas por um grupo de pedófilos durante cerca de três anos e “agenciadas” pelo pai e avô eram levadas para os locais dos abusos vendadas e com fitas adesivas tapando suas bocas. De acordo com denúncia do Ministério Público estadual do Rio, os estupros aconteciam em locais de encontros de apreciadores carros antigos e em duas casas abandonadas na Zona Norte do Rio. O coronel reformado da PM Pedro Chavarry Duarte, já condenado por estuprar uma menina de 2 anos, é acusado de envolvimento com o grupo.

Ao todo, 11 pessoas foram denunciadas pelo MP estadual pelo crime de estupro de vulnerável e respondem a um processo. Nove deles estão presos e dois, foragidos. De acordo com as investigações da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV), o pai e avô das crianças eram os responsáveis por levá-los para os encontros de carros e para as casas onde ocorriam os abusos.

Em depoimento à polícia, testemunhas relataram que as vítimas apanhavam e eram ameaçadas para que não contassem sobre os crimes. O avô, segundo os depoimentos, ainda filmava os estupros. Exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal constatou que a criança vítima dos estupros já não era mais virgem. Também foi constatado que ela foi agredida.

As investigações da DCAV revelaram que o pai e o avô abusavam das crianças e passaram a “agenciá-las”. Os irmãos eram estuprados pelos dois também na própria casa da família, na residência do avô e no carro do pai. A primeira audiência do caso foi marcada para o próximo dia 7, quando as vítimas serão ouvidas.

As investigações começaram depois que um parente de uma das vítimas procurou a delegacia. A criança reconheceu Chavarry em uma das reportagens veiculadas na imprensa sobre sua primeira prisão e acabou revelando que já havia sido estuprada pelo militar. A partir daí, a vítima relatou o envolvimento de seu pai e de seu avô, acusados não só de estuprá-la mas também de receber pagamento de homens que mantinham relações sexuais com ela e seu irmão. Os abusos sofridos pelas vítimas duraram ao menos três anos, de 2016 a 2019.

O coronel Pedro Chavarry é acusado de ter estuprado os dois irmãos dentro de seu próprio veículo e também nos locais de encontro de carros antigos. Segundo a investigação, os abusos aconteceram antes de sua primeira prisão. Em 2016, ele foi flagrado em seu carro com uma menina de dois anos. Ela estava nua e com a calcinha revirada. O militar foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável e já foi condenado pelo crime.

Chavarry ainda integra os quadros da PM e recebe salário do estado. Em agosto, ele ganhou R$ 34 mil brutos. Apenas em abril deste ano, dois anos e sete meses após a prisão de Chavarry, a PM concluiu o processo disciplinar contra o coronel e pediu a sua demissão. Ele está respondendo a um Conselho de Justificação na Justiça, que pode resultar em sua demissão.

Extra




COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.