Como descobrir se está à beira do burnout

60

Fernanda é professora de 35 anos da rede estadual e municipal de ensino. Sempre foi uma mulher batalhadora, esforçada, dedicada e que ama sua profissão. Recentemente, com o excesso de trabalho e presenciando momentos difíceis e de muita pressão na rede, ela tem se sentido cada dia mais frustrada, cansada, é inútil no trabalho.

Tem dores de cabeça e musculares diárias, não consegue desligar do trabalho e está pessimista quanto ao futuro da profissão. Tem sintomas de ansiedade aos domingos porque lembra que terá uma semana inteira de trabalho. Está assim há meses e não compartilhou isso com ninguém da sua família ou amigos. Você alguma vez já se sentiu na posição de Fernanda?

Ela tem a Síndrome do Burnout, também chamada de Síndrome do Esgotamento Profissional. Seu significado no inglês é Burn (queimar) Out (por inteiro). Ela é um transtorno relacionado ao excesso de trabalho e de pressão sobre os funcionários, muito comum em profissionais de saúde (médicos e enfermeiros), professores e bancários. Os seus sintomas levam a grande esgotamento da pessoa.

Sintomas da Síndrome do Burnout?

Como fazer para identificar seus sintomas? Gosto de dividir os sintomas dessa síndrome em dois polos. O primeiro são os sintomas físicos e, o segundo, são os sintomas psicoemocionais.

Entre os sintomas físicos, temos:

  • Alterações do sono
  • Alterações do apetite
  • Dores de cabeça
  • Dores musculares
  • Alteração na pressão
  • Sintomas gastrointestinais, envolvendo desde náuseas até diarreia e dores abdominais
  • Cansaço físico e mental

Os sintomas psicológicos e emocionais são:

  • Irritabilidade, impaciência e nervos à flor da pele
  • Dificuldade de concentração
  • Sentimento de fracasso, inutilidade e insegurança
  • Pessimismo
  • Sentimento de incompetência e enganação
  • Oscilações do humor
  • Isolamento social

A Síndrome do Burnout precisa ser entendida como um problema do trabalho, não do trabalhador. É comum pessoas que sofrem do transtorno dizerem que são inúteis, incompetentes, que deveriam fazer mais quando, na verdade, é a rotina de trabalho que é estressante, exaustiva, com muita tensão e cobrança. A Síndrome é secundária a uma incompatibilidade do profissional com o seu trabalho, justamente pelas demandas listradas acima.

A Síndrome do Burnout precisa ser entendida como um problema do trabalho, não do trabalhador. É comum pessoas que sofrem do transtorno dizerem que são inúteis, incompetentes, que deveriam fazer mais quando, na verdade, é a rotina de trabalho que é estressante, exaustiva, com muita tensão e cobrança. A Síndrome é secundária a uma incompatibilidade do profissional com o seu trabalho, justamente pelas demandas listradas acima.

O tratamento é feito com psicoterapia. Medicamentos são necessários dependendo da gravidade do quadro. É muito comum sua evolução para Depressão, Transtornos de Ansiedade e Transtorno do Pânico. Estima-se que sua prevalência na população atinga os 40% e seus números são tão alarmantes que a Organização Mundial de Saúde incluiu o quadro no rol dos diagnósticos médicos no CID-11 (Código Internacional de Doenças).

Alguns passos são importantes para prevenir tal quadro:

  • Crie metas pessoais e profissionais. Coloque na balança se o que você está fazendo não está excessivo e ainda lhe dá prazer
  • Tenha hobbies e lazer! Sai com a família e amigos
  • Faça atividades físicas regulares
  • Tenha dieta balanceada
  • Evite falar de trabalho quando não está no local

Lembre de procurar ajuda médica se você perceber que sente alguns desses sintomas!

MinhaVida

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.