Desista de pessoas que não te consideram importante

23

Desista de todas as situações que fazem você se sentir mal, desista de pessoas com quem você não se importa mais . Renunciar não é fácil, é um passo muito importante em que nos sentimos inseguros e cheios de dúvidas. No entanto, há momentos em que não há outra escolha se quisermos parar de sofrer.

É difícil deixar ir as pessoas que no passado foram importantes para nós. Difícil aceitar que essas pessoas talvez já não nos tenham na conta de prioridades e entendermos que deixamos de ser importantes para elas. Permanecer conectado a alguém que já está olhando para outra direção é besteira, é um desgaste inútil que só aumentará o sofrimento. A solução mais inteligente é, portanto, renunciar.

Renuncie por respeito a você

Quantas vezes você já ouviu falar sobre a metáfora do trem? O trem a qual é comparado como sendo a nossa vida. Nele, as pessoas embarcam e desembarcam enquanto nós permanecemos. Alguns passageiros se demoram embarcados, outros descem nas muitas estações que existem pelo caminho. Apostar que alguém entrou no trem da sua vida para seguir viagem até o fim pode ser ingenuidade; tampouco nós embarcamos no trem da vida dos outros tendo como destino certo a última estação.

O que acontece com as pessoas que se tornam importantes para nós?
Gostaríamos que ficassem a bordo do nosso trem e nunca mais voltassem a descer. No entanto, não podemos forçar ninguém a nos acompanhar até o final da nossa jornada. Muitas dessas pessoas vão descer e isso será muito ruim no começo. No entanto, com o passar do tempo, vamos entender que devemos aprender a deixar ir, porque ninguém nos pertence.

Agarrar-se a uma situação que não tem futuro só nos fará sentir mal, porque podemos dar tudo o que temos, investir num relacionamento que não tem futuro. Sempre nos foi dito que devemos dar sem esperar nada em troca. No entanto, o problema surge quando essa dinâmica se torna um hábito e corremos o risco de nos machucar, batendo de novo e de novo contra a mesma parede.

Renunciar a uma pessoa é um ato de amor próprio. Devemos nos permitir a oportunidade de curar as feridas nascidas dessa relação que não foi frutífera. Só assim poderemos conhecer outras pessoas e descobrir que existem aquelas que realmente nos dão uma mão, livremente, durante toda a nossa vida.

Não tenha certeza dos sentimentos dos outros

Às vezes os sentimentos de uma pessoa mudam, mas ainda assim não nos abandonam. Isso muitas vezes acontece em relacionamentos de casal, onde o amor é reduzido ao afeto e, apesar disso, decidem ficar juntos. Às vezes você não tem coragem suficiente, porque agora você está “acostumado” a ficar junto. Em outras ocasiões, porém, acha-se que o parceiro não é mais culpado de não ser amado.

O principal problema com esta situação é que ambos os parceiros acabam sofrendo. Um dos dois se verá vazio, porque seu parceiro não atende mais às suas necessidades, enquanto o outro se sentirá acorrentado, porque está com uma pessoa para quem não sente mais nada.

Desta forma, não é estranho que as demonstrações de afeto sejam arrastadas pela frustração e que surjam sinais inconfundíveis que indicam que tudo está acabado:

• Ele não se preocupa mais com as suas necessidades, especialmente do ponto de vista emocional. As demonstrações de afeto são agora parte do passado e é por isso que você começa a sentir-se solitário e abandonado.

• Não leva em conta suas idéias ou seus critérios e, portanto, começa a tomar decisões por conta própria. Na maioria dos casos, tudo isso se destina a satisfazer as necessidades dele.

• Você sente sendo o único a manter vivo o relacionamento, o que ainda dá tudo. Se, em certo momento, você deixasse de dar, sabendo que não receberia nada em troca, o relacionamento chegaria ao fim.

• Você começa a se sentir humilhado, criticado … Seu parceiro começa a se afastar de você sem motivo aparente. De repente, quem foi a sua fonte de infelicidade tornou-se o seu júri mais severo.

Por alguma razão, você não é mais uma prioridade para aquela pessoa especial e isso o machuca. A coisa certa a fazer seria essa pessoa ser honesta com você, o que nem sempre acontece.

Lembre-se que a renúncia é um ato voluntário, mesmo que você não queira realmente fazê-la. No entanto, você deve tomar essa decisão para evitar o sofrimento.

Em sua vida, você frequentemente se encontrará em situações em que precisa decidir renunciar a parceiros, amigos e até mesmo a sua família. Aprender a dizer adeus, entender que a separação é positiva para você é uma realidade que você só compreenderá com a experiência.

Pensar Contemporâneo




COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here