quinta-feira, abril 18, 2024

InícioDestaquesResidentes apresentam projetos de conclusão com soluções inovadoras para o Estado

Residentes apresentam projetos de conclusão com soluções inovadoras para o Estado

Automação de sistemas governamentais e desenvolvimento de aplicativos para gestão administrativa, de recursos hídricos e mobilidade urbana. Esses são alguns dos temas de projetos propostos por 56 concluintes da primeira turma do programa de Residência Técnica (Restec) em Inovação, Transformação Digital e E-Gov. O curso é ofertado pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) e as bancas públicas de avaliação dos trabalhos de conclusão serão transmitidas pela internet, a partir de segunda-feira (4) até 21 de março.

Coordenados pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), os programas de Restec são considerados política pública de estado, com amparo na Lei nº 20.086/2019. A iniciativa tem como objetivo contribuir para formação continuada de profissionais recém-formados, com foco no setor público.

O conteúdo acadêmico é aplicado na modalidade de pós-graduação lato sensu (especialização), semelhante às residências da área da saúde. Parte das vagas ofertadas nos cursos de especialização é reservada para servidores públicos.

Na Restec de inovação e transformação digital, os profissionais participaram ao longo de dois anos de disciplinas nas áreas de ambientação aos processos de transformação digital, análise e aplicação de dados e interação entre a sociedade com as inovações tecnológicas.

Nesse período, os residentes também passaram por qualificação profissional ao desenvolver atividades práticas em diferentes órgãos da administração direta e autárquica.

De acordo com o cronograma, nove dos trabalhos de conclusão estão ligados diretamente à área de inovação e 13 à transformação digital. O restante dos projetos contempla temáticas variadas, como gestão de processos internos, gestão de pessoas, energia limpa, inclusão social e meio ambiente, além de projetos de arquitetura, comunicação, contabilidade, direito e literatura.

Alguns projetos são manuais que propõem atualização ou melhoria dos processos organizacionais das instituições em que os residentes realizaram as atividades práticas. São propostas pensadas para facilitar, automatizar e digitalizar informações e auxiliar na gestão de recursos públicos.

No campo da saúde, por exemplo, há sugestões para melhoria do sistema integrado de saúde pública. Na área de comunicação, os residentes refletem sobre novas ferramentas e novos recursos que podem ser utilizados pelo governo.

SOLUÇÕES INOVADORAS – Com formação em análise e desenvolvimento de sistemas, o residente Ricardo Antônio Carneiro, lotado no Instituto Água e Terra (IAT), desenvolveu um aplicativo para leituras de dados em estações fluviométricas e pluviométricas.

A previsão é que a tecnologia auxilie em estações de leitura manual, localizadas em 248 municípios. O objetivo é otimizar a coleta e utilização desses dados no monitoramento de recursos hídricos realizado pelo órgão, que atua na proteção, preservação, conservação, controle e recuperação do patrimônio ambiental paranaense.

“A residência foi muito gratificante profissionalmente e abriu um novo leque de conhecimentos sobre gestão, preservação, cuidados com o meio ambiente e recursos hídricos”, afirma o residente, que desenvolveu as atividades práticas no Núcleo de Inteligência Geográfica e da Informação do IAT. “Além disso, a equipe do núcleo sempre me ajudou muito na construção desses conhecimentos”, pontua.

Outro projeto consiste em uma pesquisa relacionada à literatura e inclusão social da pessoa idosa. A proposta é do bibliotecário Wagner Luis Gonçalves Cordeiro, que atuou como residente na Biblioteca Pública do Paraná (BPP).

O estudo aborda tecnologias digitais no âmbito da biblioterapia, uma metodologia subsidiária da psicoterapia, que utiliza a leitura como estratégia terapêutica para melhorar a saúde mental. A partir de entrevistas com pessoas acima de 60 anos de idade que frequentam a BPP, o estudo aponta que a maioria desse público é favorável às atividades de leitura e utiliza tecnologias digitais.

Ele também destaca a possibilidade de aprimoramento profissional. “Por meio da residência técnica aperfeiçoei os conhecimentos na minha área e identifiquei setores que necessitam de investimento para atrair novos usuários e leitores, além de interagir com funcionários e profissionais de atendimento ao público”, afirma o residente, que também tem formação em História.

NOVA TURMA – A segunda turma do Programa de Restec em Inovação, Transformação Digital e E-Gov iniciou as atividades em setembro de 2023 com previsão de encerramento para agosto de 2025. São 240 alunos matriculados no curso de especialização, sendo 218 residentes técnicos e 22 servidores públicos. O programa concede bolsa-auxílio no valor de R$ 2.375 mais R$ 264 de auxílio-transporte para os residentes técnicos.

AEN

ARTIGOS RELACIONADOS

MAIS POPULARES