Há suspeitas de que o paciente tenha entrado no Brasil utilizando antitérmicos para burlar os exames nos aeroportos. Conversas circulam em grupos de whatsapp de Matinhos de 17 funcionários que trabalhavam junto com o paciente já estariam de quarentena.

Uma parte da família se manifestou e postou o seguinte texto:

Gostaria de me manifestar, quanto ao caso confirmado do Covid19 em Matinhos. O rapaz cujo exame foi confirmado positivo é irmão da Iasmin proprietária da Confeitaria Dona Gertrudes (DG), a Iasmin é minha nora, casada com meu filho Guilherme. Pessoas mal informadas estão fazendo comentários caluniosos e difamatórios da Iasmin, da família e da DG, nas redes sociais. Essas pessoas devem saber que por estarem atrás de um computador não estão anônimas, sendo assim não estão isentas de arcar judicialmente com seus comentários e afirmações que possam prejudicar ou denegrir a reputação de uma pessoa ou uma empresa, saiba que essas pessoas estão sendo monitoradas. Então antes de compartilhar ou fazer um comentário, certifique-se que a notícia é verdadeira.
A verdadeira história: O rapaz que é irmão da Iasmin, veio da França e fez escala no Rio de Janeiro, relatou aos comissários que não estava passando bem, com dor de cabeça e mal estar. Foi examinado pelos funcionários responsáveis do setor sanitário do aeroporto e segundo eles não constataram nada grave, apenas um resfriado e mandaram seguir viagem. Chegando em Curitiba pegou um táxi até Matinhos. Foi para a casa da tia que não mora em Matinhos e empresta a casa pra ele, que é no mesmo condomínio do pai dele. A intenção era cumprir a quarentena, mas no mesmo dia começou a passar mal e ligou para a Iasmin sua irmã. A Iasmin já imaginou que ele poderia ter contraído o vírus e ligou para a Upa Matinhos, relatou a situação e pediu para eles buscarem seu irmão, o pessoal da Upa erroneamente pediu para ela levar ele lá. Mesmo assim ela tomou todas as precauções, forrou os bancos do carro com papel alumínio, pediu pra ele colocar máscara cirúrgica, não deixou ele tocar nas maçanetas do carro e deixou todos os vidros abertos. Chegando na Upa ele foi encaminhado para o Hospital Regional. Na Upa inicialmente não fizeram nenhuma recomendação para a Iasmin, então posteriormente ela ligou perguntando o que deveria fazer, já que seu irmão era suspeito de ser portador do vírus. Só então recomendaram ela e seus familiares ficarem de quarentena, fechar a DG e dispensar todos os funcionários, posteriormente colocaram uma placa vermelha de interditado. Quero deixar bem claro que o irmão da Iasmin, é chaveiro e não trabalha na DG e não esteve na Confeitaria e a Iasmin não voltou mais na DG, após o episódio. Gostaria de dizer que a Iasmin é uma menina de 25 anos, muito responsável, batalhadora, uma empresária de sucesso, que eu admiro e todos os matinhenses deveriam admirar. Apenas pelo fato de ter prestado ajuda ao irmão está sendo massacrada por pessoas irresponsáveis e mal intencionadas.
Peço aos amigos e pessoas de bem de Matinhos que compartilhem essa postagem, para que o bem e a verdade prevaleçam em Matinhos!

Redacao

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.