Dono de carro recuperado pela polícia após 27 anos diz que não sabe se vai buscar o veículo por causa dos custos

32

Carrou roubado em 1992, que vale R$ 4,2 mil, foi encontrado pela PRF no sábado (10), em Foz do Iguaçu; custos para transporte e regularização podem ser maiores que o preço do veículo.

O dono de um carro roubado em 1992, que foi recuperado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) no sábado (10), em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, disse que não sabe se vai buscar o veículo por causa dos custos. Ele mora em São Paulo (SP).

O homem contou que ficou surpreso com a notícia e que o carro foi levado da frente da casa dele. Nesses 27 anos, o proprietário afirmou que nunca teve informações do veículo.

Só de guincho, de Foz até São Paulo, ele gastaria em média R$ 4 mil. Ainda teria que pagar a troca de placas, seguro obrigatório e licenciamento, além dos custos da viagem dele até o oeste do Paraná.

O carro também precisa de alguns reparos. Somadas, as despesas passam dos R$ 4,2 mil, que é o preço do carro, de acordo com a tabela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

Conforme a Polícia Civil, se o dono não quiser mais o veículo, o destino do carro vai depender de uma decisão da Justiça. Caso vá buscar, basta que ele apresente um comprovante de propriedade.

O carro foi abordado durante fiscalização na aduana da Ponte da Amizade, em Foz. A polícia informou que, ao consultar o chassi do veículo, descobriu que o carro era licenciado em São Paulo e tinha um alerta de furto registrado em abril de 1992.

Ainda segundo a PRF, o motorista paraguaio, de 45 anos, apresentou documentos do carro, incluindo um contrato de compra e venda do veículo, que de acordo com ele estava na família havia três gerações.

O condutor foi preso e levado junto com o carro para a Delegacia de Polícia Civil de Foz do Iguaçu. Ele pagou fiança e foi solto, mas vai responder por receptação.

G1

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.