Polícia Civil indicia por homicídio e estupro pai, mãe e avó materna de bebê morta em Arapongas

341

Inquérito foi concluído na quinta-feira (27); pais e avó seguem presos. Menina de pouco mais de um ano morreu no dia 18 de junho.

A Polícia Civil indiciou o pai, a mãe e avó materna da bebê de um ano que morreu em Arapongas, no norte do Paraná, por estupro de vulnerável e homicídio. O inquérito foi concluído na quinta-feira (27). Os três seguem presos à disposição da Justiça.

A menina Sophia, que tinha pouco mais de um ano, chegou morta à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Arapongas no dia 18 de junho, o que, segundo a polícia, contrariou as versões dos pais. Profissionais de saúde constataram que a menina já estava morta e a perícia afirma que ela foi morta pelo menos duas horas antes de chegar à unidade de saúde.

Em depoimentos, os suspeitos negaram que tenham provocado a morte da criança e disseram que a menina engasgou com o leite depois da mãe dar banho nela, por volta das 19h. No entanto, um laudo preliminar do Instituto Médico-Legal (IML) apontou agressão física como causa da morte.

A delegada Thais Orlandini Pereira declarou, na segunda-feira (24), que a bebê foi estuprada e que havia indicativos de que o pai foi o responsável pelo crime.

Segundo a Polícia Civil, a mãe e a avó também foram indiciadas por estupro porque as investigações concluíram que elas foram coniventes com a situação, foram cúmplices.

Uma filha do casal, que tem 4 anos, relatou à polícia que o pai batia em Sophia e que jogou a irmãzinha no chão e que tentou enforcá-la. Demonstrou através de gestos, colocando as mãozinhas no pescoço e explicando que o pai fazia isto com a irmã.

O inquérito foi encaminhado ao Ministério Público do Paraná (MP-Pr)

G1

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.