Um homem que sobreviveu ao acidente com oito mortos na BR-277, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, disse que nunca viu uma cena tão chocante.

“Eu não consigo acreditar até agora. A hora que eu desci, como eu não enxergava nada, eu só via gente gemendo de dor e pedindo socorro e eu não sabia o que tinha acontecido. Quando baixou um pouco a neblina, que eu vi a tragédia, é triste porque são muitas vidas. Eu não tenho nem palavras’, disse o autônomo Rafael Lima.

O administrador Ricardo Xavier, que também estava no local, disse que viu “vidas caindo”. “Vi as pessoas caindo de dentro dos carros, um motoqueiro por cima dos carros, foi algo muito triste, nunca tinha presenciado algo tão triste assim na minha vida”, contou.

O acidente foi um engavetamento, que envolveu 22 veículos, sendo cinco motocicletas, 16 carros, sendo um da Polícia Militar, e um caminhão. Vinte e duas pessoas ficaram feridas,segundo o Corpo de Bombeiros.

Uma das vítimas foi levada ao hospital com ferimentos graves, cinco com machucados moderados e 16 com ferimentos leves. Todos foram encaminhados para hospitais como o Cajuru, Evangélico e Trabalhador. Até a última atualização da reportagem, pelo menos 12 deles já tinham sido liberados.

Entenda como aconteceu o acidente

Tudo começou, segundo os bombeiros, com um primeiro acidente envolvendo alguns carros, perto de uma passarela, sem gravidade.

Na sequência, poucos segundo depois, o caminhão, ainda de acordo com os socorristas, vinha atrás e tentou desviar dos veículos que estavam parados, mas acabou atropelando quatro ocupantes que estavam aguardando na lateral da pista. Depois disso, os outros veículos envolvidos também colidiram atrás, ainda conforme os bombeiros.

Do total de mortos, sete morreram no local e um deles morreu posteriormente, no Hospital Cajuru. Segundo o IML, são 5 mulheres e três homens. Até a última atualização da reportagem, os corpos não tinham sido oficialmente identificados.

Focos de fumaça e neblina no trecho

Testemunhas disseram que havia uma queimada perto do local atrapalhando a visão de quem dirigia pela estrada. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiro e também pela PRF, que também falou sobre a intensidade da neblina no trecho.

“Os focos de fogo à beira das rodovias, eles podem gerar esse tipo de situação em qualquer rodovia do estado do Paraná e do Brasil. Estamos em um período de estiagem, temos alertado veementemente isso todo dia para que a população nos ajude cuidando dessa situação. Nossos atendimentos de incêndio florestal aumentaram 78% em relação ao ano passado”, contou o coronel Prestes.

Prestes disse ainda que se não houver uma cooperação, podem acontecer outras tragédias nas rodovias.

O morador da região Marcos Aurélio disse que já faz mais de uma semana que começou o incêndio na beira da rodovia. “Será que alguém vai tomar uma atitude? Hoje já aconteceu isso, famílias estão morrendo, pessoas estão sendo destruídas por causa de uma fumaça. Pelo amor de Deus, hoje foi uma tragédia anunciada”, afirmou.

G1PR

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.