Prêmio visa reconhecer talento de brasileiros que serviram de inspiração para o país e o mundo

Mais do que um projeto de trabalho, um projeto de vida. Assim definiu a bióloga sul-mato-grossense, Neiva Guedes que ajudou a tirar a Arara Azul, símbolo do Pantanal, da lista de animais em extinção. Mestre em Ciências Florestais, doutora em Zoologia e criadora do Instituto Arara Azul, Neiva foi indicada a concorrer ao Prêmio Faz Diferença, do Jornal O Globo em parceria com a Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro).

São 30 anos dedicados ao meio ambiente. Neiva Guedes, que também é professora do mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional da Uniderp, em Campo Grande, conta que foi motivada a estudar a Arara Azul após um curso de conservação da natureza em 1989. “Naquele dia vi um bando de arara, quando meu professor falou que estava em extinção e aquilo me despertou curiosidade”, explica.

A partir daí, a bióloga se dedicou a estudar para saber como poderia ajudar. “Fiz mestrado em ciencias florestais e a Arara Azul foi objeto do meu mestrado. Acabou virando um projeto de vida, porque era tão envolvente o trabalho, que acabei dedicando quase 30 anos a ele”, revela.

Neiva também revela que já conseguiu motivar outros jovens, muito mais após criar, em 2003, o Instituto Arara Azul, com sede em Campo Grande. Com 12 colaboradores, dois deles em Aquidauana, o instituto trabalha com educação ambiental. “Temos oficinas de sensibilização, principalmente para as crianças, para aprenderem a reconhecer, tentar entender e valorizar o que temos de tão rico no nosso Pantanal”, diz.

A bióloga reafirma que a aprendizagem desde criança pode formar adultos mais conscientes. “As pessoas convivem com a natureza, mas não estão atentas. Se não contarmos com as crianças que são o futuro, com o tema da natureza, muita coisa pode ser perdida”, complementa.

Neiva conta que ficou surpresa com a indicação e atribui o reconhecimento aos longos anos de trabalho. “Nunca estive sozinha nessa caminhada. É um ponto positivo para divulgação maior ainda do nosso trabalho, para chamarmos atenção para conservação. É uma honra fazer parte disso”, conclui.

O Instituto recebe voluntários a partir de abril, que é o período de reprodução das araras. O Instituto Arara Azul tem apoio da Fundação Toyota do Brasil, Uniderp, Refúgio Ecológico Caiman, em Miranda, entre outros. Outras informações podem ser encontradas no site: www.institutoararaazul.org.br.

Prêmio

O Prêmio Faz Diferença, uma iniciativa Jornal O Globo e da Firjan está em sua 17ª edição e visa reconhecer o trabalho, a dedicação e o talento de brasileiros, que, nas mais diversas áreas de atuação, serviram de inspiração para o país e o mundo em 2019.

A exemplo das versões anteriores, jornalistas de cada uma das editorias do jornal selecionaram as três pessoas, instituições ou empresas que mais se destacaram nas páginas do jornal este ano pela atuação em suas áreas.

O público pode vota por meio da internet e até o dia 19 de janeiro. Para votar é necessário estar logado no site do Globo, por meio do seu cadastro de usuário da Globo.com.

O Pantaneiro.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.